A Bomba

Monday, October 16, 2006

Incertezas

Vivemos com a certeza de que um dia o sol se põe, com a certeza de que um dia o sol nasce, com a certeza de que o Inverno existe, o Verão, o Outono, a Primavera… Tantas certezas, tantas incertezas do que vivemos, do que sentimos, do que amamos, tantas certezas incertas, tanta vida por viver, tanto sonho vivido, tanto amor… Vivemos com a certeza que a incerteza existe, que nada podemos fazer, que a vida é mesmo assim, incerta. Queríamos ter certezas, mais certezas, talvez fosse mais fácil, menos intenso, menos vivido, menos chorado, menos sorrido, menos incerto. Vivemos com certeza de que o céu é azul, o sonho é cor-de-rosa, o amor é vermelho, as estrelas amarelas, as folhas verdes, as pétalas de todas as cores… Mas na realidade não o são! As cores são incertas, tal como a vida. Acreditamos nas certezas que são nossas, na certeza de quem somos, de quem amamos, de quem sonhamos. Acreditamos que somos como somos, que nunca vamos mudar, mas mudamos. Quais as certezas que temos que não são incertas? Não sei! Talvez não existam certezas certas, apenas incertas. Talvez o sabor da vida esteja na procura da certeza que nunca se conquista, talvez o doce da vida seja a incerteza, talvez a beleza da vida esteja no que não sabemos, no que queremos, no que sonhamos, no que imaginamos, no que queremos que seja, não no que é… Vivemos com a certeza de que um dia o sol se põe, a certeza de que um dia o sol nasce, a certeza de que o Inverno existe, o verão, o Outono, a Primavera, a certeza de um futuro incerto!

Sunday, October 08, 2006

PARTIDA

Atrás da cortina escondo as lágrimas que percorrem o meu rosto, que me relembram que não te tenho, que representam a tristeza da tua ausência e a dor da saudade. Aqui estou, mais uma vez, a ver-te voar para um porto distante do meu....sem ter a oportunidade de impedir esta tua partida ou simplesmente incluir-me na tua rota...
Novamente, restam apenas RECORDAÇÕES!

Wednesday, October 04, 2006

Se eles o dizem...




"O mal nunca está no amor."
André Gide


"Algum desgosto prova muito amor, mas muito desgosto revela demasiada falta de espírito ."
"Romeu e Julieta" , William Shakespeare

Tuesday, September 26, 2006

Porque é que as formigas existem?

Porquê?
Para quê?
Hoje exterminei-as... às que pude... e foi eficaz!



Grão a grão enche a neurose o papo.
Guerra às migalhas!!
Queremos alimento!!!
M.

Sunday, September 24, 2006

Aos que sabem...


Uns sabem. Outros não. E depois há os outros: os que nunca virão a saber... Temos pena. Desses.

Tuesday, September 19, 2006

Ilusão ou realidade?!?!?!

Reflexo

Falar de reflexo é falar de nós. Falar do que somos, do que sentimos, do que aparentamos ser, do que vemos, da forma como nos vemos. Reflexo é mudança, sim porque ele muda... Muda todos os dias, todas as horas, minutos e segundos. Muda porque também nós mudamos. Mudamos com a vida, com o tempo, com as pessoas, com as paixões, a felicidade e o sofrimento. Mas... Como foi, como será que era, o nosso reflexo? Como é que ele seria antes, do tudo, do nada, da vida... Seria lindo, feio, diferente, igual? Como seria? Talvez não seja importante saber... Ou talvez seja! Não sei! Talvez o importante seja ver o que o reflexo ganhou, não o que perdeu! Talvez o importante seja o reflexo do agora, do que é e não do que foi! Talvez tenha perdido beleza, sorriso, inocência, cor, luz... Talvez tenha ganho outras coisas, outro sorriso, outra beleza, outra luz e outra cor... Mas... Afinal, qual é o reflexo de nós? Será o de agora, o de ontem ou o de amanhã? Não sei! Talvez todos sejam nossos, todos reflitam o que somos, o eu, o nós, a forma como nos vemos e sentimos, talvez... E talvez o mais real, o mais nosso, seja o de hoje, o de agora, o deste momento... Sempre o deste momento...

Monday, September 11, 2006

Os Homens são todos iguais

Na sequência do post anterior, bem como de algumas, várias, pronto..., imensas conversas tidas com amigas e amigos, cada dia que passa, mais chego há conclusão que na realidade eles são mesmo TODOS IGUAIS... e nós também... Eles são básicos, basicamente, ou gostam ou não gostam. Nós somos complexas, podemos gostar um bocadinho, mais ou menos, muito... Não interessa! O que interessa é que pensamos, interpretamos tudo com base na nossa complexidade, o que nos leva a cometer erros, a acredidar que determinadas coisas são verdadeiras, quando na realidade não são, a acreditar que determinadas verdades são reais quando na realidade não o são.. Pensamos sempre que existe algo mais do um simples gostar ou não gostar, acreditamos sempre que existe medo, insegurança, um trauma qualquer, uma mãe, um fim de namoro sofrido, que, " se calhar aconteceu alguma coisa", mas na realidade nunca acontece nada. É que fins de namoro sofridos, mães, medos, inseguranças, traumas, todos, ou todas nós temos... Será que existe mesmo um " quero mas não quero"? Ou será que o que o " quero mas não quero" significa é, na realidade, " não quero, mas até gosto de ter alguém disponível para quando precisar...". O que será que significa: " vamos ser amigos", " não estou pronto para assumir um compromisso", " saí de uma relação há pouco tempo", " Não me consigo dar porque a minha ex era fria", " estou cansado"( afirmação feita na sequência de possível encontro connosco), " tenho de trabalhar até tarde", "estava na casa de banho"( afirmação feita na sequência de 5 horas há espera de resposta a mensagem), " tinha o telemóvel sem som", " estava às compras com a minha mãe" ( afirmação feita na sequência de 12 horas sem responder a uma mensagem), " tinha o telemóvel no carro"... Sim meninas isto significa "não quero", não significa que está confuso, inseguro, com medo, que fomos frias, más, ou seja o que for, significa "NÃO QUERO"! Significa " não estou apaixonado"! Claro que também pode significar que eles são uma bestinhas egoístas, que não têm coragem sequer para assumir o que não sentem, ou talvez signifique que eles nos querem disponíveis para o que eles precisarem... Sem dúvida esta última, nada como uma boa mulher pendurada, disponível para o que fôr preciso, quando fôr preciso, o sonho de qualquer homem... Não nos podemos iludir com coisas do género: " Eu não fazia isto", " Se ele não estivesse apaixonado, acabava comigo!", " Oh, mas houve um dia desta semana em que ele foi tão querido!", " Se calhar ele está a agir assim porque eu fui muito fria!", " Deve ter acontecido alguma coisa", " Coitadinho, anda muito cansado!". Não nos podemos iludir... Eles são todos iguais...